Destaque, Notícias

Dada a situação epidemiológica que vivemos, a necessidade de nos reinventarmos é mais do que nunca sentida tendo sempre como ponto de partida a segurança de todos.

A fruta é como sempre a temática principal e este ano, por não ser possível realizar mais uma “Feira dos Frutos” nos moldes habituais, o Município das Caldas da Rainha decidiu criar o “Há Fruta no Parque” – Mercado de Frutas e Legumes, de menor dimensão e gratuito, na localização habitual das feiras dos anos anteriores, no Parque D.Carlos I a decorrer de 19 a 22 de Agosto de 2021.
 

Como a produção destes bens essenciais não param, chegando todos os dias às nossas casas das mais variadas formas, este mercado pretende incentivar e impulsionar a compra de produtos frutícolas aos produtores da região oeste.

Para além disso, este ano é o ano internacional das frutas e legumes onde os países são desafiados a aumentar a consciencialização sobre o importante papel das frutas e vegetais na nutrição humana, segurança alimentar e saúde. #IYFV2021 #FruitsVegYear

“Há Fruta no Parque” contará com vários expositores dedicados a fruta, legumes e derivados, artesanato, doçaria e pastelaria local, comércio, serviços e indústria ligada à temática agrícola assim como maquinaria agrícola.

Quem visitar o mercado encontrará animação itinerante, concertos, showcooking, jogos e atividades infantis de sensibilização sobre alimentação sustentável, reciclagem e consumo sustentável.

Local: Parque D.Carlos I – Caldas da Rainha

Horário do mercado: 19, 20 e 21 de Agosto entre as 17h00 e as 23h00 | 22 de Agosto das 10h00 às 20h00

Entradas: Gratuitas e sob controlo de lotação

Agronegócios, Julho 2021

0

Destaque, Notícias
O Ministério da Agricultura vai apoiar mais de 1250 novos agricultores que se candidataram ao pedido único do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP) para ajudas à Gestão Sustentável de Habitats agrícolas, inseridos em regiões de proteção ecológica.

Estes apoios somam cerca de 5,6 milhões de euros anuais e contemplam uma área protegida de 80 mil hectares, estando esta medida prevista na Diretiva Aves e Habitats e integrada no Compromisso para proteção da Biodiversidade em Intervenções Territoriais Integradas

Como explicou a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, “estes apoios estavam indisponíveis desde 2015. A sua retoma reflete o nosso empenho e compromisso em impulsionar medidas que vão ao encontro da conservação da natureza e dos seus ecossistemas, quer em Rede Natural, quer em regiões com valores naturais específicos”.

Agrotec, Julho 2021

0

Destaque, Notícias

Esta edição conta com três categorias abertas a concurso público, alinhadas com as prioridades nacionais e europeias de inovação nos sectores agroalimentar e florestal:

  • Agro-indústria 4.0, para premiar o desenvolvimento de soluções tecnológicas digitais que promovam a optimização da produção, a gestão eficiente de recursos, a rastreabilidade e/ou a sustentabilidade ambiental, económica e social da cadeia de valor agro-alimentar ou florestal;
  • Biotecnologia e Bioeconomia, para premiar soluções biotecnológicas que respeitem os princípios da bioeconomia sustentável e da circularização da cadeia de valor agro-alimentar e/ou florestal, permitindo criar valor a partir de recursos biológicos e renováveis, preferencialmente recursos endógenos;
  • Produtores Inovadores, para premiarprojectos desenvolvidos por produtores agrícolas ou florestais que incorporem tecnologias inovadoras ou que desenvolvam modelos de negócio inovadores, e que permitam demonstrar o papel da produção agro-alimentar e florestal na promoção da sustentabilidade ambiental, económica e social da actividade agro-alimentar e/ou agroflorestal.

O vencedor de cada categoria receberá um prémio monetário no valor de 5000€, bem como os projectos merecedores das distinções na categoria: Inovação em Parceria e Projecto de Elevado Potencial promovido por Associado(s) do Crédito Agrícola. Será ainda atribuída uma menção honrosa para Jovem Empresário Rural no valor monetário de 2500€ e a ANI (Agência Nacional de Inovação) irá também atribuir o reconhecimento Born from Knowledge (BfK Awards), de entre os finalistas. As candidaturas estão abertas até 16 de julho aqui.

Agroconceito, Junho 2021

0

Destaque, Notícias

New Organic Planet (NOP) realizará a 5 de julho, pelas 14h30 o II Webinar no âmbito do Projeto Probiomadeira. Este é o IV evento organizado no âmbito deste projeto do Prociência financiado pelo IDE que já contou com dois workshops presenciais no Colégio dos Jesuítas, Funchal e um Webinar em novembro de 2020.
 
Para este webinar estarão presentes dois oradores da Universidade da Madeira com os temas da  Agroecologia e Fruticultura Tropical e da Escola Superior Agrária de Coimbra, com os temas Fertilidade do Solo e Mercado de Produtos Biológicos. Ambas as instituições de ensino e de investigação têm estabelecido uma parceria, de protocolo de cooperação técnica, científica e humana com a New Organic Planet. O público alvo deste evento são agricultores, técnicos, estudantes e público em geral.

Inscrições gratuitas em: https://forms.gle/Zc2ZyLPRkspv5iAV7

Data | 5 de julho (2ª feira)
Local | evento online
Público-alvo | agricultores, técnicos, estudantes e público em geral

Programa:

14h30 | Sessão de abertura

14h40 | Caracterização dos Casos de Estudo do projeto Probiomadeira e condições agroecológicas da Madeira (Fabricio Macedo, Universidade da Madeira)

15h00 | Perspetivas da produção e valorização de fruta subtropical na Madeira (Carla Gouveia, Universidade da Madeira)

15h20 | Discussão

15h30 | Diagnóstico da fertilidade do solo na produção biológica da Madeira (Daniela Santos, Escola Superior Agrária de Coimbra)

15h50 | O mercado dos produtos biológicos na Madeira – resultados preliminares (Isabel Dinis, Escola Superior Agrária de Coimbra)

16h10 | Discussão

16h20 | A transição digital da comercialização de produtos agrícolas (Luis Albano, New Organic Planet)

16h40 | Agritransporte – Soluções de transporte à distancia de um clique (Carlos Lima – Inovcluster)

17h00 | Discussão

17h15 | Sessão de encerramento


Agroconceito, Junho 2021
0

Destaque, Notícias

Está aberto um anúncio do PDR2020, até 9 de agosto, para apresentação de projetos que terão um apoio a fundo perdido de 50 a 60 % de investimentos em Valorização Agrícola, Armazenamento e Tratamento de Efluentes Pecuários, em explorações de pecuária intensiva. Podem também ser incluídos outros investimentos (novas normas ambientais, de higiene e bem-estar animal, por exemplo), desde que os investimentos em efluentes sejam predominantes.
 
A valor máximo elegível de investimentos é de 500.000€ + IVA.
 

Principais condições a observar:

  • Deter uma exploração de pecuária intensiva licenciada ou em processo de licenciamento no REAP
  • Ter um Plano de Gestão de Efluentes Pecuários (PGEP) aprovado pela DRAP e válido à data de submissão da candidatura, no caso das explorações pecuárias das Classes 1 e 2, com uma produção de efluentes de pelo menos 200 m3/ano.
 
Para mais informações, contacte-nos: geral@agroconceito.pt | 239 080 039

 
Agroconceito, Junho 2021

0

Destaque, Notícias

Abriu no passado dia 14 de Maio o aviso para a Instalação de painéis fotovoltaicos em explorações agrícolas. Com uma dotação de 10 milhões de euros e um apoio que pode chegar aos 70%, este Aviso contempla uma discriminação positiva para territórios vulneráveis, zonas desfavorecidas de montanha e detentores do Estatuto de Agricultura Familiar.
 
O Aviso, anunciado hoje, integra a medida “Pequenos Investimentos na exploração agrícola” e contempla um apoio ao investimento que pode ir dos 700 euros aos 35 mil euros.
 
Para mais informações, pode consultar: https://url.gratis/DgK6j

Agroconceito, 17 Maio 2021



0

Destaque, Notícias

Operação 3.2.1 – Investimento na Exploração Agrícola | Instalação de Redes Anti Granizo em Pomares (23º Anúncio)

Aberto de 23 de Abril de 2021 às 17:00 a 23 de Junho de 2021 às 17:00

Esta operação tem como objetivo apoiar a realização de investimentos na exploração agrícola destinados a melhorar o desempenho e a viabilidade da exploração, aumentar a produção, criar valor, melhorar a qualidade dos produtos, introduzir métodos e produtos inovadores e garantir a sustentabilidade ambiental da exploração, visando nomeadamente:

  • A utilização eficiente do recurso água, incluindo a adoção de tecnologias de produção;
  • A gestão do recurso água, incluindo investimento em melhoramento de infraestruturas de rega tendo em vista as suas condições de segurança;
  • A proteção e utilização eficiente do recurso energia, incluindo a adoção de tecnologias de produção;
  • A melhoria de fertilidade e da estrutura do solo;
  • A redução da volatilidade dos preços dos fatores/produtos agrícolas;
  • A produção e/ou utilização de energias renováveis, com exceção da bioenergia a partir de cereais e outras culturas ricas em amido, açucares e oleaginosas, desde que pelo menos 70% produção de energia seja para consumo da exploração.
Fonte: Agroportal, Abril 2021
0

Destaque, Notícias

Vêm aí apoios que irão financiar a manutenção de novas florestas durante 20 anos. O proprietário florestal poderá receber entre 100 e 140 euros anuais por hectare

O Secretário de Estado das Florestas, João Catarino, refere que “os proprietários hoje não investem na floresta porque ela não é economicamente rentável para eles, e não podem continuar a tirar dinheiro da pensão para a limpeza da floresta”.

Na opinião do governante o estado tem de perceber que é altura de ajuda-los e sensibilizá-los para esta nova oportunidade, “não pagamos apenas a plantação da árvore, daremos também um apoio durante 20 anos para que essa árvore seja mantida”.

Também o alargamento do cadastro simplificado vai passar a partir de setembro para todo o território nacional, estando já a decorrer avisos de abertura de vários milhões de euros. Recorde-se que este cadastro tem a garantia de isenção de taxas de registos nas conservatórias.

Vida Rural, Julho 2020

0

Destaque, Notícias

A nova Estratégia de Biodiversidade para 2030 apresentada pela Comissão Europeia tem como objetivo proteger a natureza e reverter o processo de degradação dos ecossistemas de forma sustentável.

As medidas anunciadas propõem a reserva de, pelo menos, 30 % das terras e dos mares da Europa em áreas protegidas geridas de forma eficaz. O objetivo é, a partir das zonas Natura 2000, complementar a rede com áreas protegidas a nível nacional, garantindo a proteção estrita das zonas com elevado valor em termos climáticos e de biodiversidade.

A Estratégia propõe também um plano abrangente de restauração da natureza da UE, que inclui:

  • elaborar uma proposta de um novo quadro jurídico para a restauração da natureza, para restaurar ecossistemas danificados; melhorar o estado de conservação de, pelo menos, 30 % das espécies ehabitats protegidos da UE que não se encontram atualmente em estado favorável; restabelecer o curso natural de rios, numa extensão de, pelo menos, 25 000 km;
  • travar e reverter o declínio das aves das terras agrícolas e dos insetos, em especial dos polinizadores;
  • reduzir a utilização global e o risco dos pesticidas químicos, bem como a utilização dos mais perigosos, em 50 %;
  • manter pelo menos 25 % das terras agrícolas em produção biológica e aumentar significativamente a adoção de práticas agroecologias;
  • reduzir as perdas de nutrientes provenientes dos fertilizantes em, pelo menos, 50 %, e a utilização de fertilizantes em, pelo menos, 20 %;
  • plantar pelo menos 3 mil milhões de árvores, em pleno respeito pelos princípios ecológicos, e proteger as florestas primárias e seculares ainda existentes;
  • eliminar as capturas acessórias de espécies protegidas ou reduzi-las para um nível que permita a recuperação total das espécies e não ameace o seu estado de conservação.

Para reverter o declínio dos insetos polinizadores, a Comissão propõe que 10 % das terras agrícolas sejam constituídas por “elementos paisagísticos altamente diversificados”, por exemplo, sob a forma de sebes e faixas de flores, e que os efeitos ambientais do setor agrícola sejam significativamente reduzidos até 2030.

A Estratégia visa ainda o lançamento de um novo processo para melhorar a governança da biodiversidade, garantindo que os Estados-Membros integram os compromissos da Estratégia nas respetivas políticas nacionais, além de estimular os regimes fiscais e a fixação de preços de modo a refletir os custos ambientais reais – nomeadamente o custo da perda de biodiversidade –, e a integrar efetivamente a biodiversidade nas tomadas de decisões públicas e empresariais.

Fonte: Vida Rural, Maio 2020

0

Usamos cookies para oferecer a melhor experiência on-line. Ao concordar em aceitar o uso de cookies de acordo com nossa política de cookies.

Privacy Settings saved!
Configurações de Privacidade

Quando você visita qualquer website, ele pode armazenar ou recuperar informações no seu navegador, principalmente na forma de cookies. Controle os seus serviços de cookies pessoais aqui.

Estes cookies são necessários para o site funcionar e não podem ser desligados em nossos sistemas.

Para utilizar este website, usamos os seguintes cookies tecnicamente requeridos
  • wordpress_test_cookie
  • wordpress_logged_in_
  • wordpress_sec

Recusar todos os serviços
Aceite todos os serviços